Irati e Região / Notícias

05/04/14 - 09h01 - atualizada em 05/04/14 às 09h07

Problemas do aterro de Prudentópolis serão resolvidos em poucos dias, diz Agibert

Paulo Sava


A prefeitura de Prudentópolis enfrenta problemas na justiça por conta do aterro sanitário do município. De acordo com informações do Jornal Hoje Centro Sul, publicadas na edição do dia 05 de fevereiro, o prefeito municipal de Prudentópolis, Gilvan Pizzano Agibert,  foi intimado pela justiça a solucionar definitivamente o problema do depósito inadequado do lixo urbano, conforme o processo nº 60/1995, que corre na justiça e está em exercício de execução.

Segundo o processo, a prefeitura tem até o dia 02 de maio para regularizar a situação do aterro. Caso isso não ocorra, a multa diária estabelecida em 2007 será de R$2 mil.

Ainda de acordo com o jornal Hoje Centro Sul, consta no processo uma resposta do procurador do município, datada de 18 de março de 2013, alegando que as providências estariam sendo tomadas, e que quase todas as exigências do Ministério Público teriam sido cumpridas, exceto duas: a instalação de valas para escoamento do chorume e águas pluviais, e a instalação de chaminés para a saída dos gases.

Agibert falou com a Najuá durante a reunião da Amcespar na semana passada. Ele afirmou que, em pouco tempo, Prudentópolis resolverá todos esses problemas. “Nós ainda estamos com condições de usar ele [aterro sanitário] como instrumento legal e normal, mas sabemos que com o tempo temos que mudar. Acompanhamos hoje aqui duas empresas que se apresentaram novas tecnologias, usinas, para nos dar uma solução aos grandes problemas e para que possamos cumprir a lei, quem sabe juntos através da Amcespar. Para assim diminuir o custo e resolver os problemas”.

O prefeito justifica que faltam apenas alguns ajustes para adequar o aterro de Prudentópolis, a nova Política Nacional de Resíduos Sólidos. “Falta pouca coisa. Um pedaço de uma área que aguardamos a liberação da justiça. Queremos dar uma solução definitiva quem sabe agora através de usinas e não mais aterro”, conta.

Segundo Gilvan o aterro de Prudentópolis fica em uma área há cerca de 5 km da área central da cidade. Ele diz ainda que aproximadamente 15 famílias sobrevivem por meio da coleta de lixo reciclável no município e considera importante o trabalho dos coletores. “Isso agrega valor e ajuda as pessoas”, simplifica.



Comentários