Irati e Região / Notícias

16/04/19 - 23h01 - atualizada em 16/04/19 às 23h17

Prefeitura garante que depósito temporário no CT está livre de focos da dengue

Focos foram neutralizados antes de o material recolhido de quintais e de terrenos baldios ser, provisoriamente, encaminhado para o CT Willy Laars

Da Redação, com informações Assessoria 

Materiais coletados no Dia D de combate à dengue foram deixados no CT Willy Laars

Moradores dos bairros Camacuã, Rio Bonito, Alto da Lagoa e redondezas do CT Willy Laars podem ficar tranquilos. A Prefeitura de Irati garante que os materiais depositados temporariamente naquele local não representam perigo de reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Segundo nota emitida pelo Município, os focos foram neutralizados antes de o material ser encaminhado para lá.

Por causa do mau tempo registrado na tarde desta terça (16), a força-tarefa executada em alguns bairros estratégicos (Nhapindazal, Conjunto Fragatas, João Vieira da Rosa e Tucholka) para o combate à dengue terá continuidade nesta quarta (17) e na manhã de quinta (18). A operação prossegue a vistoria de terrenos, limpeza, coleta de lixo, fiscalização e notificação. Donos de terrenos cuja condição favoreça o aparecimento de novos focos do mosquito serão penalizados. Em caso de chuva, a ação será suspensa por ora.

A Prefeitura reforça que os resíduos temporariamente depositados no CT Willy Laars, que foram recolhidos dos terrenos, não representam uma aglomeração de focos da dengue ou a geração de um foco ainda maior, até porque eles foram organizados de modo a não haver acúmulo de água parada e os focos foram neutralizados antes do encaminhamento do material.

PUBLICIDADE

O CT foi escolhido para receber o material temporariamente por ser um espaço onde seria possível calcular o volume de material coletado durante o Dia D. Outra razão para a escolha do local é a facilitação da logística para a Prefeitura e para as cooperativas de reciclagem, que foram informadas de que o material estava no CT para a triagem, a fim de separar o reciclável do que é, de fato, rejeito.

O grande volume de material recolhido impediu que essa triagem fosse concluída de forma imediata, tendo em vista que as cooperativas possuem estrutura e mão de obra limitada para dar conta das 40 toneladas de materiais coletados. Mesmo assim, a triagem está sendo realizada de forma ágil e ininterrupta, o que já contribuiu para reduzir significativamente a quantidade de material depositado no CT.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC  

Texto continua após a publicidade

PUBLICIDADE

Como o aterro sanitário está localizado a mais de 20 quilômetros do centro, a distância inviabilizaria a dinâmica do Dia D, para que o material fosse recolhido nos bairros e encaminhado para lá. Além disso, a Prefeitura estima que 80% do material recolhido era reciclável e, portanto, o aterro seria uma destinação incorreta, pois boa parte dos objetos podem ser reciclados e gerar renda às cooperativas.

Entretanto, algumas pessoas que não fazem parte de empresas de reciclagem compareceram ao CT, de modo autônomo, em busca de possíveis objetos de valor entre o material coletado e ali depositado. Ainda que o CT seja um local público e de livre acesso à população em geral, a prática não foi incentivada, muito menos autorizada, pela Prefeitura nem pelas Secretarias Municipais, porque essa atividade, sem os EPIs corretos, pode oferecer riscos à saúde e à integridade física.

A Prefeitura alerta aos vizinhos do CT que, se verificarem pessoas manuseando os materiais recicláveis sem fazer parte de cooperativas, devem comunicar à Guarda Municipal, pelo telefone (42) 3423-2833.

PUBLICIDADE

Vários pneus foram recolhidos durante a força-tarefa da prefeitura


Comentários

Enquete

O Imposto sobre Valor Agregado (IVA) deve ser a base da Reforma Tributária?

  • Não
  • Sim
Resultados