Irati e Região / Notícias

06/04/18 - 15h03 - atualizada em 06/04/18 às 16h49

Irati tem mais de 70 focos de dengue, diz secretária de Saúde

Secretaria deve promover ações de prevenção e combate ao mosquito Aedes Aegypti a partir do próximo sábado

Paulo Henrique Sava

Agentes de endemias da Secretaria de Saúde de Irati encontraram mais de 70 focos do mosquito da dengue em todo o município. Os dados foram divulgados pela secretária Magali Salete de Camargo durante entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira, 05, no Salão Nobre da Prefeitura.

Na oportunidade, a secretária informou que, destes 70 focos, a maioria está localizada na área central da cidade. No ano passado, no total, oito agentes estavam trabalhando nesta área, quando o ideal seriam pelo menos 30. Em setembro, foram treinados outros 28 agentes, que iniciaram os trabalhos a campo. Em dezembro de 2017, foi elaborado um primeiro relatório, que apontava 0,3% de focos da dengue no município.

No total, cerca de 25 mil imóveis foram visitados pelos agentes de endemias desde o ano passado. Em março, foram visitados 1046 estabelecimentos. Nestes, foram encontrados 70 pontos de contaminação, sendo que grande parte deles estava em residências e recipientes de pratos de vaso. A região que teve o maior registro de focos da dengue é o centro da cidade. "Até onde está a Secretaria de Saúde e seu entorno é o maior foco que nós temos, além das proximidades do hospital, da Prefeitura, Colina Nossa Senhora das Graças, são os pontos de maior foco da infestação do pernilongo", afirmou.

Conforme Magali, o relatório denominado de LIRAa (Levantamento Rápido de Infestação por Aedes Aegypti) aponta que Irati já chegou a um nível 07 de infestação pelo mosquito. Ela pede a atuação de toda a comunidade em uma grande ação para “limpar” Irati da dengue. Conforme os agentes da dengue, o ovo do Aedes permanece vivo por até cinco anos.

"Se nós não fizermos uma ação de limpeza, pois não é só jogar a água do pote do cachorro, tem que pegar detergente e lavar o recipiente, porque o ovinho fica ali depositado. Aí, vem sol, chuva, calor, e ele explode. Se não houver estas condições, ele fica ali acomodadinho, mas uma hora ele vai despertar, e é isto que está acontecendo agora", ressaltou.

Mais de 70 focos do mosquito Aedes Aegypti foram encontrados até agora em Irati

Colaboração da comunidade

Conforme Magali, grande parte da responsabilidade pelo aparecimento dos focos da dengue é da população. Ela afirmou que o comitê da dengue será reativado no município. O órgão será formado por integrantes da Secretaria de Saúde, da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Todos estes órgãos devem se unir para fazer uma grande mobilização contra a dengue. "

Magali ressalta que toda a comunidade precisa se conscientizar sobre a limpeza dos terrenos. Ela comenta que neste ano não haverá um dia D contra a dengue. As ações serão desenvolvidas semanalmente nos bairros, iniciando neste sábado, 07, pelo bairro Alto da Lagoa. Nos demais bairros, as datas serão marcadas posteriormente.

"Nós precisamos dar conta disso, porque se não fizermos este trabalho agora, teremos gravíssimos problemas até o final do ano. Vem aí o inverno, o mosquito dá uma sumida, mas nós estamos aí com um índice de 7, que é de altíssimo risco. Se não fizermos este trabalho agora, quando chegar o verão, todos nós iremos colher os frutos, pois o mosquito não vai escolher picar só o vizinho", frisou.

Conforme Magali, os agentes irão fazer orientações nos bairros, distribuindo sacos de lixo, em uma grande ação no bairro Alto da Lagoa neste sábado. Na semana que vem, os trabalhos começarão a ser realizados no centro da cidade.

Em caso de casas que estejam fechadas no dia da visita ou em terrenos baldios, os proprietários serão notificados. "Nós vamos notificar o morador, dando um prazo para ele limpar, porque caso isto não aconteça, nós iremos notificar o Ministério Público", comentou.

Região central de Irati concentra o maior número de focos do mosquito da dengue

Focos do mosquito

Conforme a coordenadora de endemias, Tielen Crislei Chapiewski, além do centro, os bairros que apresentam maior concentração de focos do mosquito da dengue são a Colina Nossa Senhora das Graças, Canisianas, Dallegrave e bairros próximos a área central. O maior registro de casos de dengue na área central se deve por negligência de funcionários e proprietários de estabelecimentos e moradores da região.

"Geralmente são empresas onde os funcionários acabam saindo, fica só a secretária e ela não vai fazer a limpeza do pátio, negligenciando, ou as pessoas acabam não ficando tanto tempo em casa, saindo para trabalhar ou estudar, as lojas nem sempre têm cuidado com lajes e calhas, geralmente é isso", frisou.

Em caso da existência de córregos ou nascentes de água nos terrenos, os agentes estão proibidos de aplicar o larvicida no local. Em outros locais públicos, como a piscina do Centro da Juventude, obra que está parada, o larvicida é aplicado a cada seis meses. No local, não foi encontrado nenhum foco do mosquito.

Em outras obras paradas do município, é elaborada uma estratégia diferenciada de combate aos focos do Aedes, uma vez que são necessários cuidados especiais nestas ações. Ela citou como exemplo a piscina do Centro da Juventude, onde não foram encontradas sequer larvas do Aedes. "Em cada local, é estudada a melhor ação a ser feita. A pessoa diz que quase nunca vê, mas foi denominada uma ação de tempo em tempo, podendo ser a cada dois ou seis meses. Isto requer um cuidado maior, uma ação mais planejada, mais atenta, tanto é que (a piscina do Centro da Juventude) está sendo tratada da forma correta que não encontramos larvas lá", comentou.

Secretária Magali Salete de Camargo apresentou as ações a serem realizadas juntamente com a coordenadora do setor de endemias da Secretaria de Saúde, Tielen Crislei Chapiewski

Casos de dengue ainda não foram registrados

Conforme Magali, ainda não foi registrado nenhum caso autóctone da dengue em Irati. A maior preocupação está no fato de que pessoas infectadas passem por Irati e transmitam a doença. "Nós não podemos correr este risco. Pela quantidade de pernilongos que temos circulando, se tiver um deles contaminado (o que não foi encontrado até hoje), começam a surgir os casos e é um prazo de dias para isso se tornar uma epidemia", comentou.

Magali solicita que a população autorize a entrada dos agentes de endemias nas residências. Ela pede que cada morador faça a limpeza dos seus terrenos. "É uma ação na qual precisamos muito de vocês da imprensa para fazermos este trabalho. Estaremos encaminhando vinhetas e vamos limpar Irati da dengue. Estamos com toda a equipe de mangas arregaçadas para fazer este trabalho, com a Prefeitura e outros órgãos que estarão se envolvendo e da população em geral, que é a maior contribuição de que iremos precisar", finalizou.

Mosquitos encontrados em Irati

Confira abaixo a entrevista coletiva concedida pela secretária Magali Salete de Camargo.


PUBLICIDADE


Comentários