Irati e Região / Notícias

09/06/19 - 22h16

Ginásio de Esportes terá nova estrutura para teto

Um dos entraves para a continuidade da obra, paralisada há pelo menos oito anos, foi a falta de segurança que a estrutura aplicada oferecia

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub 

Estrutura metálica do ginásio será removida

A nova estrutura para o teto do Ginásio de Esportes José Richa deve pesar 28,8 toneladas a menos que a estrutura presente hoje na construção paralisada há pelo menos oito anos. Ela também deve custar R$ 450 mil a menos que o previsto. 

Um dos entraves para a continuidade da obra era um erro técnico no projeto, de cálculo. A estrutura metálica, pesada demais, não teria condições de suportar a cobertura do ginásio e ofereceria risco aos frequentadores. Apesar da troca do suporte metálico para o teto, o projeto arquitetônico original se mantém.

O secretário de Planejamento e Coordenação, João Antônio Almeida Júnior, esteve em Curitiba, na terça-feira (4), com o secretário de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Adriano Batista, e duas servidoras técnicas da Prefeitura de Irati, em Curitiba, para tratar da continuidade da obra do ginásio. Na semana passada, Adriano citou na Câmara que a estrutura metálica que deveria suportar o teto do ginásio será removida.

Texto continua após a publicidade

PUBLICIDADE

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC

Perícia realizada no local concluiu que a estrutura não é capaz de suportar o peso da cobertura. Somado a isso, o material metálico ficou exposto a intempéries climáticas durante cerca de oito anos, desde que foi instalado e que a obra paralisou. A razão da ida até Curitiba foi a visita a um dos maiores escritórios de engenharia e arquitetura do Brasil, responsável por obras como a Arena da Baixada e a Ópera de Arame, segundo João Almeida.

“O escritório nos ofereceu um estudo preliminar que pode diminuir o peso daquela estrutura, sem diminuir nenhum quesito de segurança. Essa é uma questão principal que o prefeito Jorge Derbli nos solicita sempre daquela obra, que é a questão de segurança. Vamos diminuir em torno de 28,8 mil quilos da estrutura da cobertura, sem mudar a arquitetura, sem mudar o conceito, com materiais novos, modernos, sem reduzir a segurança. Só com essa diminuição de peso – a R$ 15 o quilo da estrutura, dá mais ou menos R$ 450 mil de economia que vamos ter para essa estrutura nova”, explica.

Ainda deve levar cerca de 20 a 30 dias para ser assinado o contrato da nova estrutura metálica e o projeto deve ficar pronto em aproximadamente 45 dias. A nova licitação para a retomada da obra do Ginásio, como já dito pelo secretário Adriano, na semana passada, deve ocorrer entre o final de 2019 e o início de 2020.

PUBLICIDADE

Além da paralisação da obra por causa de riscos oferecidos pela cobertura, a obra tinha entraves jurídicos, mas foi desjudicializada neste ano, depois que a perícia concluiu que a Prefeitura não devia nada ao empreiteiro e vice-versa. “No entendimento da Prefeitura, do Governo do Estado e do Paranacidade, as contas estão equilibradas e a Prefeitura pode retomar a obra, sem valores a pagar ou valores a receber da empresa”, diz.

Ainda não há definição sobre o valor necessário para a conclusão da obra do Ginásio, pois é necessário fechar o projeto da nova cobertura metálica. O município captou um empréstimo de cerca de R$ 6 milhões para iniciar a obra e, até hoje, paga prestações de cerca de R$ 60 mil. A atual administração solicitou à Fomento Paraná e ao Paranacidade a rescisão desse primeiro contrato e a captação de um novo empréstimo, de valor semelhante. “Acreditamos que com R$ 3,5 milhões possamos concluir o Ginásio”, estima.

PUBLICIDADE

Comentários