Irati e Região / Notícias

20/08/19 - 19h12 - atualizada em 20/08/19 às 20h03

Festa do Monge inaugura espaço de fé e história em Rebouças

Parque Ambiental Monge João Maria rememora figura importante da cultura e da religiosidade reboucense

Da Redação, com informações e fotos Assessoria 

A 1ª Festa do Monge João Maria realizada em Rebouças no fim de semana visou resgatar o período da história da formação do município, que reconhece, através de lei municipal, os ofícios tradicionais de saúde popular, como benzedeiras, curandeiros, costureiras de rendiduras ou machucaduras e regulamenta o livre acesso à coleta de plantas medicinais nativas. A passagem do monge João Maria por variadas cidades da Região Sul tem a ver com esse aprendizado tradicional.

O nome “monge João Maria” é atribuído, na verdade, a três diferentes personagens que passaram pela região entre meados do século XIX e início do século XX: João Maria de Agostini, João Maria de Jesus e José Maria de Santo Agostinho – nome ligado à eclosão da Guerra do Contestado (1912-1916).

A festa serviu de ocasião para inaugurar o Parque Ambiental Monge João Maria. Segundo o professor universitário Nilson Fraga, que palestrou sobre a história do monge e sua ligação com a Guerra do Contestado, de disputa de terras entre o Paraná e Santa Catarina, a figura dos monges era importante numa época em que praticamente não havia escolas, hospitais nem padres na região.

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

“Rebouças é uma referência no respeito e apoio às benzedeiras. Esse evento é mais uma prova disso, por isso atrai tantos interessados em saber um pouco mais sobre os ensinamentos que elas possuem e que provêm dos monges”, observa o secretário de Agricultura de Rebouças, Laércio Cipriano.

A inauguração do Parque Ambiental encerrou a 17ª Feira Regional das Sementes Crioulas e da Agrobiodiversidade. “Mostramos neste final de semana que Rebouças é um polo de preservação da sua história, do nosso povo, do nosso meio ambiente, da Mãe Natureza, dos pequenos agricultores. A forte participação dos moradores do nosso município e de fora mostram que estamos no caminho certo”, avaliou o prefeito Luiz Everaldo Zak.

O parque fica na Rua Vitório Cruz, na saída para a localidade do Paredão e foi construído ao redor de um olho d’água. Reza a cultura popular que nunca para de brotar água desse olho d’água, mesmo em períodos de seca. O local é utilizado até como fonte de batizados e é onde são depositadas promessas e agradecimentos (ex-votos) ao monge .

PUBLICIDADE


Comentários