Irati e Região / Notícias

05/11/19 - 16h18 - atualizada em 07/11/19 às 11h32

Erasto Gaertner fará campanha contra o câncer de boca nesta quinta-feira

Esta será a 3ª edição da campanha. Saiba quais os sintomas e como detectar a doença

Paulo Henrique Sava

Chefe do setor de odontologia da Secretaria Municipal de Saúde, Roberto Van Der Laars, e a enfermeira-chefe da unidade avançada do Hospital Erasto Gaërtner de Irati, Daniela Raffo, falaram sobre a campanha durante o programa Espaço Cidadão na quinta-feira, 31

O Hospital Erasto Gaertner, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Irati, promoverá a 3ª Campanha de Prevenção e Diagnóstico do Câncer Bucal na quinta-feira, 7. O evento conta com apoio da Rede Feminina de Combate ao Câncer, da Associação do Núcleo de Apoio ao Câncer de Irati (ANAPCI) e da 4ª Regional de Saúde. A população poderá realizar exames clínicos gratuitamente na Rua da Cidadania (Travessa Frei Jaime) das 8 às 17 horas, inclusive no horário de almoço.

As avaliações serão realizadas com pessoas na faixa etária acima dos 30 anos. Além disso, os profissionais do Erasto e do setor de odontologia da Secretaria de Saúde aplicarão questionários e farão uma tomada de informações junto aos pacientes. Haverá também explicações sobre as formas de prevenção e como fazer o autoexame para detecção da doença. 

Caso seja detectada alguma lesão suspeita, o paciente será encaminhado para o Centro de Especialidades e, se necessário, para o Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial do Erasto em Curitiba, onde passará por uma nova avaliação. Dependendo do resultado, o médico indicará a melhor forma de tratamento, que pode ser uma cirurgia oncológica ou com radioterapia. Se forem descobertos a tempo, cerca de 80% dos casos de câncer bucal têm cura. 

A enfermeira-chefe da unidade avançada do Erasto de Irati, Daniela Raffo, conta que, em 2017, 1º ano da campanha, foram realizados 198 exames clínicos; destes, quatro apontaram resultado positivo para câncer. Em 2018, o número de pessoas examinadas caiu para 189; destas, 51 apresentaram lesões e oito foram diagnosticadas com a doença. “É bem provável que estas pessoas talvez não fossem procurar um profissional, pois pegamos elas indo ao banco, pagando contas, no seu dia a dia”, ressaltou.  

Em Curitiba, a campanha está sendo realizada há 31 anos pela equipe do dentista Laurindo Moacir Sassi, chefe do Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial do Hospital Erasto Gaërtner. 

PUBLICIDADE

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP 

Causas, sintomas e formas de tratamento

Chefe do Setor de Odontologia da Secretaria de Saúde, Roberto Van Der Laars, alerta que o fumo e o consumo frequente de alimentos e líquidos como o café e o chimarrão em temperatura muito alta (acima de 70ºC) podem provocar o desenvolvimento do câncer bucal.

“A pessoa desenvolve a neoplasia [nome científico do câncer] de acordo com fatores genéticos e de exposição a agravantes. O hábito diário [de beber o chimarrão muito quente] vai lesionando os tecidos que entram em contato com esta temperatura exagerada”, pontuou o dentista. “O chimarrão em si não faz mal, mas sim a temperatura inadequada da água [ou alimento]. Podemos ter esta situação se a pessoa beber o café muito quente ou comer pão com queijo derretido que gruda no céu da boca. Com esta repetição, se a pessoa tiver predisposição genética, é um risco que ela corre”, completou. 

O dentista recomenda que a pessoa esteja atenta a qualquer sinal de lesão na boca e procure atendimento médico o mais rápido possível. “A pessoa pode ter uma lesão com quatro centímetros que não oferece perigo nenhum: ela será removida sem problema. Ao mesmo tempo, ela pode ter uma lesão de milímetros com características de malignidade e a pessoa não tem condições de visualizar. Um profissional de saúde terá uma visão muito melhor da boca da pessoa que ela mesma no espelho. É importante que a pessoa tenha este autoexame, mas se surgir a dúvida, acabe com ela consultando um profissional”, finalizou.  



Comentários