Irati e Região / Notícias

30/07/14 - 21h50 - atualizada em 30/07/14 às 21h58

Coletor realizou descarte irregular de lixo na Vila São João

Investigação interna da Santa Casa identificou autor do descarte, que teve a identidade preservada pela direção do hospital
Sassá Oliveira

Quase dois meses depois que uma moradora de Irati denunciou que algumas pessoas estariam despejando lixo de maneira irregular em um terreno, localizado nas proximidades do condomínio industrial na Vila São João, nossa reportagem procurou a direção da Santa Casa e a secretaria Municipal de Ecologia e Meio Ambiente para saber se os fatos foram apurados e qual foi à conclusão do caso.

Segundo o Administrador da Santa Casa, Sidnei Barankevicz, a instituição médica não assistiu as imagens captadas pela empresa próxima ao local onde o material foi descartado. No entanto, ele informou que através de uma investigação interna, foi constatado que uma parte do material hospitalar era mesmo da Santa Casa e foi depositado no local de forma irregular por um coletor autônomo, que recolhe o material reciclado no hospital.

Sidnei afirma que o material apesar de se tratar de lixo hospitalar é reciclável e limpo. Ele relata que o coletor autônomo só tem acesso ao material reciclável. Os demais materiais infectantes são criteriosamente armazenados e repassados a uma empresa especializada que realiza a coleta. A Santa Casa preferiu não divulgar a identidade do coletor que fez o descarte irregular.

Também procuramos o Secretário Municipal de Ecologia e Meio Ambiente Osvaldo Zaboroski.

Ele informou que teve acesso as imagens, mas ainda está analisando o material. De acordo com ele, é muito difícil encontrar as imagens do dia e momento exato que os materiais foram descartados, pois são várias horas de filmagens. Zaboroski ainda afirmou que um inquérito policial está em andamento para apurar o caso e apontar os responsáveis.

Lixo hospitalar, doméstico, material descartado por algumas empresas, lixo reciclável e entulhos foram localizados de forma irregular no terreno na Vila São João


Relembre o caso

No e-mail enviado à redação, a moradora relatou que encontrou até etiquetas com nomes de pacientes entre o lixo hospitalar jogado no referido terreno.

Nossa reportagem esteve no local e encontrou lixo hospitalar, lixo doméstico, material descartado por algumas empresas, lixo reciclável e entulhos. Além disso, foi constatado que há pessoas que catam material naquele local de maneira irregular e sem nenhum tipo de segurança, correndo sério risco de contaminação por diversas doenças.

Moradores e trabalhadores de empresas próximas reclamavam que, em dias de muito calor ou chuva, o mau cheiro é insuportável. Além disso, proprietários de imóveis nas proximidades afirmam que o chorume que escorre do local vai direto para a água que os animais bebem.

Na oportunidade, o morador César Fernandes comentou que passa pelo local diariamente e observa que o acúmulo de lixo só aumenta.

Segundo ele, o chorume contamina a água que animais criados por ali utilizam para beber. Outro morador, que se identificou apenas como Celso, também cria gado nas proximidades e disse que o mau cheiro e a contaminação do local prejudicam sua criação.

O provedor da Santa Casa, Germano Strassmann, assim que soube da denúncia de depósito irregular de resíduos hospitalares, esteve no local para averiguar a situação. A direção do hospital constatou que a denúncia, de fato, procedia.

Nesse intervalo de tempo, a direção da Santa Casa também conversou com o chefe regional do IAP, Edemilson Luiz Quadros, a fim de solicitar permissão para remover o lixo hospitalar do local.

“Na sequência, nossa enfermeira foi fazer uma vistoria mais aprofundada e confirmou, com certeza absoluta, que parte daquele lixo encontrado era da Santa Casa e que grande parte dele era lixo reciclável e não contaminado. Diante dessa constatação, os resíduos estão sendo analisados, bem como está sendo investigado como eles foram aparecer lá, visto que o hospital tem empresas especializadas para cada tipo de resíduo”, justificou Germano.

A Santa Casa informou que produz mensalmente 5,5 toneladas de lixo: 2,9 toneladas são de resíduos orgânicos recolhidos pela HMS; a empresa Atitude recolhe 1,5 toneladas de lixo contaminado e 700 kg corresponde a materiais recicláveis.

Procurada para prestar esclarecimentos sobre o descarte irregular do lixo, a prefeitura de Irati informou que foram realizados serviços de limpeza no terreno da Vila São João recentemente. Esse trabalho, segundo nota da secretaria de Comunicação Social, teve dois propósitos. Um deles diz respeito aos aspectos ambientais de responsabilidade do executivo e outro por se tratar de um espaço onde serão instaladas duas empresas no Condomínio Industrial de Irati.

Na época, a secretaria de Meio Ambiente disse que iria solicitar as imagens captadas pelas câmeras de segurança de uma empresa próxima ao local para investigar o fato.

Clique no saiba mais e relembre as notícias publicadas na época sobre o descarte irregular do lixo na Vila São João.

Comentários