Irati e Região / Notícias

06/11/19 - 19h06 - atualizada em 07/11/19 às 00h17

Centro da Juventude Nagib Harmuch será inaugurado nesta quinta-feira

Obra será entregue dez anos após a assinatura do convênio para edificação do espaço

Edilson Kernicki, com reportagem de Paulo Henrique Sava e Rodrigo Zub. Fotos: SECOM 

Após oito anos de espera, serão entregues nesta quinta-feira (7), às 11h30, as obras do Centro da Juventude Nagib Harmuch. Entre diversas autoridades, está confirmada a presença do secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, à inauguração. O custo total da obra – com a soma da etapa inicial e a fase de conclusão, após os anos de paralisação – é de R$ 3.446.122,98, sendo R$ 3.287.486,89 da construção em si e R$ 158.636,09 para mobiliário e material de consumo.

Confira o vídeo de como ficou o Centro da Juventude no fim do texto

O Centro da Juventude é um equipamento público para o atendimento de adolescentes entre 12 a 18 anos, com a oferta de políticas de qualificação profissional, atividades de convivência, inclusão digital, cultura, esporte, lazer, formação para o empreendedorismo, assistência social e comunitária. Os adolescentes atendidos em Centros da Juventude são, prioritariamente, pertencentes a comunidades com índices de vulnerabilidade e risco social e são encaminhados a partir dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). A prioridade é para os que integram famílias do Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Em Irati, o Centro da Juventude deve atender cerca de 50 adolescentes e jovens em três perspectivas: fortalecimento de vínculos, formação psicossocial e desenvolvimento da cidadania. Para isso, vai desenvolver atividades como esporte (natação, futsal, vôlei e basquete); prática de skate e oficinas de artes marciais; informática; teatro; danças folclóricas e contemporâneas; radialismo e jornalismo. O local também vai oferecer cursos profissionalizantes, de artes em geral, e eventos relacionados à promoção da cidadania, lazer e convivência familiar e comunitária.

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

O horário de funcionamento será das 8 às 22h, de segunda a sábado. Porém, nesse primeiro mês de funcionamento e período de inscrições, a abertura será em horário comercial: das 8 às 11h30 e das 13h às 18h. O complexo, de 5.300 metros quadrados, conta com sala multiuso, sala de dança, quadra poliesportiva, pista de skate, teatro de arena, biblioteca, laboratório de informática, auditório, rádio comunitária, estúdio de gravação, cozinha e piscina semiolímpica.

O prefeito Jorge Derbli relembra que foram dez anos entre a assinatura do primeiro convênio e a conclusão da obra. O contrato 39/2010, via convênio da antiga Secretaria de Estado da Criança e Juventude (SECJ) e ParanaCidade, no valor de R$ 2.194.127,33, com aditivos de R$ 26.973,23 (1,22%). A construtora Sedro entregou 78,42% do cronograma de execução. O contrato se encerrou em 2 de maio de 2011.

Um novo contrato foi firmado em 2018, quando a Primordial Empreendimentos assumiu a etapa de conclusão da obra. O valor contratado era de R$ 1.380.576,07 e os aditivos, para a impermeabilização da piscina, foram de R$ 159.302,94.

“De comum acordo, foi feito o distrato dessa licitação e, imediatamente, foi feita uma nova, com outra empresa, porque os aditivos já tinham sido consumidos e teria mais serviços na obra que não estavam contemplados na planilha inicial. Infelizmente, a obra ficou paralisada e abandonada por mais de cinco anos. Muita coisa deteriorou, houve depredação, incêndio dentro da obra, quebraram vidros”, diz o prefeito.

Derbli ressalta que era compromisso de campanha retomar e concluir as obras paralisadas no município e que, desde o início do mandato, começou as tratativas com o Governo do Estado para finalizar os 20% que faltavam para o Centro da Juventude ficar pronto. Na ocasião, essas tratativas eram feitas junto à ex-secretária de Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa. O custo estimado para a conclusão da obra era de R$ 300 mil (R$ 150 mil do Estado e o restante de contrapartida municipal).

“Porém, com todo esse período abandonado, depredado, incendiado, nós gastamos R$ 1,6 milhão, aproximadamente, nessa obra. E eu tive que assinar um compromisso, em Curitiba, de que a Prefeitura entraria com R$ 800 mil. Era R$ 150 mil e passou para R$ 800 mil”, conta. Se tivesse recusado a dar os R$ 800 mil em contrapartida, a Prefeitura de Irati precisaria devolver os mais de R$ 2 milhões que já tinham sido investidos através do convênio.

“Mesmo depois de concluída, ainda surgiu outro problema: o da impermeabilização da piscina, que não estava nesse pacote. Nessa segunda etapa, tivemos que fazer ainda mais esse aditivo, junto ao jurídico da Secretaria da Família, discutido com engenheiros, perante o Tribunal de Contas (TCE-PR), tudo dentro das normas, e colocar mais R$ 159 mil para a conclusão da impermeabilização e melhoria na piscina, que tinha problemas”, afirma.

Devido ao custo-benefício – o clima favorável ao uso da piscina durante um curto período do ano e o alto custo de manutenção, o prefeito cogitou dispensar a piscina e transformar o espaço em mais uma quadra. No entanto, não era possível, uma vez que a piscina constava no projeto original.

Prefeito Jorge Derbli e secretária de Assistência Social, Sybil Dietrich, falaram sobre a entrega da obra do Centro da Juventude durante entrevista no programa "Meio Dia em Notícias"

Materiais

A secretária municipal de Assistência Social, Sybil Dietrich, cita que o Governo Estadual forneceu, ainda em 2009, R$ 159 mil para a aquisição de equipamentos e materiais para uso no Centro da Juventude, como computadores, material audiovisual e mobiliário. Outros R$ 30 mil foram investidos para reposição do que se avariou com o tempo. “Algumas coisas tiveram que ser adequadas e teve um gasto maior da Prefeitura de recurso livre”, diz.

O setor de informática da Prefeitura já analisou os computadores, que sofreram defasagem com o tempo, e concluiu que eles poderão ser aproveitados. Enquanto as obras no Centro da Juventude não eram concluídas, esse material permanente ficou armazenado numa sala trancada. Todo o material foi catalogado e monitorado pelo Governo do Estado. “Só pudemos mexer nesse material agora, que o Governo do Estado, através do Escritório Regional, estava conosco catalogando e observando material por material”, conta.

Início das atividades

“A partir do dia 7, teremos um período de 30 dias para inscrição, reconhecimento de demanda e apresentação para a população desse projeto, de divulgação. Nesse espaço de tempo, vamos fazer também a busca ativa para o público prioritário, que são os jovens em situação de risco e vulnerabilidade social. Passados esses 30 dias, já teremos atividades sendo ofertadas para essa população inscrita no programa”, explica a secretária.

Para atuar no Centro da Juventude, já foi formada uma equipe de referência, que conta com uma coordenadora e pedagoga concursada, uma psicóloga e uma assistente social, o setor administrativo e de serviços gerais, que serão os funcionários fixos. Cerca de 25 profissionais devem atuar no Centro da Juventude, porém, sob demanda. “Temos também alguns educadores sociais que foram contratados, alguns outros profissionais que foram contratados e teremos alguns outros, com base nas oficinas que vamos oferecer, a partir do reconhecimento da demanda”, detalha.

“Com nossos educadores sociais, a dinâmica será um pouco diferente dos outros Centros da Juventude, pois eles vão percorrer os espaços da Assistência Social. Serão mais educadores do que o previsto, porém, eles serão itinerantes, trabalharão nos CRAS e também no Centro da Juventude”, diz.

Denominação

A lei municipal 3611/2012, de 18 de dezembro de 2012, sancionada pelo ex-prefeito Sérgio Stoklos, denominou o Centro da Juventude Nagib Harmuch, em homenagem ao radialista fundador das emissoras Najuá, que tinha grande apreço pelas causas comunitárias, da juventude e divulgação esportiva.

Confira como ficou a obra no vídeo gravado por Jussara Harmuch



Saiba Mais

Comentários