Irati e Região / Notícias

06/06/19 - 20h37 - atualizada em 06/06/19 às 21h16

Centro da Juventude deve ter obras concluídas até a próxima semana

Secretário de Planejamento e Coordenação afirma que a obra tem sido vistoriada com frequência e que reparos na piscina devem ser terminados até segunda (10)

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e fotos Jussara Harmuch

 

Em entrevista no programa “Meio Dia em Notícias” da Super Najuá de quarta-feira (5), o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, João Almeida Júnior, comentou a fase atual da obra do Centro da Juventude Nagib Harmuche, que recebeu aditivo de prazo e de valor. Houve uma adição de R$ 159.302,94 ao orçamento do projeto, para a impermeabilização da piscina. O projeto para a retomada e conclusão da obra já previa investimento de cerca de R$ 1,45 milhão, com recursos do Governo do Estado e contrapartida municipal. O cronograma previa, inicialmente, a entrega da obra para 12 de maio. Com o aditivo de 90 dias, o prazo foi estendido para 10 de agosto.

Confira a entrevista completa com o secretário no fim do texto

João Almeida relembrou que um dos motes da campanha eleitoral era, justamente, a resolução das obras paralisadas e que a gestão atual recebeu mais de 20 obras inconclusas. “Sempre nos chamou atenção aquelas três obras, uma do lado da outra: Centro da Juventude, Ginásio e Prefeitura”, comentou. “Foram feitos diversos contatos e apresentados vários projetos para retomarmos essas obras e a primeira que retomamos foi o Centro da Juventude, uma estrutura que ficou muito depreciada e foi depredada. Mas a piscina era o principal problema daquela estrutura, pois ficou muito tempo sem água, está a céu aberto, e foi tendo infiltrações”, acrescentou. Conforme o secretário, o estado da piscina tornava seu uso inviável.

Os últimos aditivos de prazo e de valor foram concedidos recentemente. “A construtora é a mesma de três, quatro anos atrás. Obviamente, tivemos inflação. Quando se faz um convênio, há um prazo para concluí-lo. Por isso, precisamos fazer o aditivo de prazo. Todos esses aditivos, as datas finais, vão se encerrar agora no dia 24 de junho. Estamos vistoriando a obra dia sim, dia não e acreditamos que até o dia 10 de junho [segunda-feira] ela esteja completamente terminada”, disse.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC  

Texto continua após a publicidade

PUBLICIDADE

Para cumprir o prazo estabelecido e não ocasionar danos, em função das chuvas torrenciais da semana passada, foi necessário improvisar uma espécie de estufa sobre a piscina, com lonas e tubos de PVC. “Acreditamos que, na semana que vem, se encerram as obras físicas na estrutura do Centro da Juventude, para que em julho façamos a entrega oficial à comunidade”, assegurou.

Toda a impermeabilização da piscina precisou ser refeita, com a reaplicação dos azulejos. A Prefeitura pensou em alternativas para impermeabilizar a piscina, como a aplicação de vinil. “Essa alternativa tem sido adotada em locais privados. Mas se, em decorrência do vandalismo, cortassem esse vinil, não perceberíamos a infiltração. Por isso, optamos pelo método tradicional, afinal, sua concepção foi feita assim e a duração é muito maior”, disse.

O município cogitou retirar a piscina do projeto, pois, além desses problemas, há a questão relacionada à dengue. O local, porém, recebe quinzenalmente produtos que impedem a reprodução do mosquito vetor de transmissão da doença. Como a piscina está prevista no projeto e já havia mais de 60% de sua execução, retirá-la do conjunto da obra acarretaria problemas junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR). “Se fôssemos eliminar a piscina, estaríamos, literalmente, enterrando o dinheiro da população, ao tapar a piscina com terra, aplainar o terreno para fazer uma quadra poliesportiva ou algo do gênero. Preferimos, por isso, aplicar um dinheiro a mais e manter o projeto original. Se a piscina não tivesse sido iniciada, seria uma opção retirarmos essa estrutura do projeto total”, justificou.

PUBLICIDADE

Conforme João Almeida, cerca de 95% do cronograma da obra já foi executado e, agora, estão sendo concluídos detalhes, como a instalação de espelhos nos banheiros e de ar condicionado no restante do prédio. O que, de fato, atrasou, foi a piscina, por ser uma estrutura externa e em decorrência das chuvas nos últimos dias.

Ainda sobre a piscina, um dos questionamentos é se ela de fato, vai ser utilizada, considerando-se o clima predominante em Irati na maior parte do ano. O secretário respondeu que, de fato, é preciso levar em conta que, ao considerar o clima, a utilização da piscina se estenderia por cerca de 45 dias, entre a metade de dezembro e o fim de janeiro, durante o verão. O município pretende estudar formas de aquecer essa piscina, seja aquecimento solar ou a gás. O projeto padrão que vem do Estado para a construção do Centro da Juventude não incluía esse sistema de aquecimento. “Não tínhamos [o município] a opção de querer ou não a piscina. Ou pegávamos o pacote completo ou não pegávamos esse projeto”, afirmou.

PUBLICIDADE

Prevenção ao vandalismo

“Enquanto a empreiteira não entregar essa obra ao município, a responsabilidade total sobre ela é da empresa. Enquanto ela não entregar a chave e não atestarmos o recebimento dessa obra, ela é de responsabilidade da empresa. Após isso, a responsabilidade é do município”, respondeu o secretário, ao ser questionado sobre medidas para evitar a ação de depredadores enquanto o Centro da Juventude não for inaugurado. Outra medida é a readequação de salas no prédio ao lado do Centro da Juventude – onde seria a nova sede da Prefeitura – para que a Guarda Municipal ali se instale. Por enquanto, a empresa mantém guardiões no local.

Instalação de câmeras de segurança

O município também está em negociação com uma empresa para instalar equipamentos de monitoramento em tempo real em todos os prédios públicos de Irati, com sensores de movimento, a fim de tentar reduzir o vandalismo. A medida visa gerar segurança e economia, pois não há pessoal suficiente para fazer a guarda de mais de 70 prédios públicos em turnos intermitentes, pois seriam necessários cerca de 200 guardas a mais. De acordo com João Almeida, num segundo momento, essas imagens de monitoramento eletrônico poderão ser acessadas por qualquer cidadão iratiense, pois elas terão acesso público.

Áudio do trecho da entrevista que João Almeida fala sobre obra do Centro da Juventude 

Comentários