Irati e Região / Notícias

13/02/20 - 22h29 - atualizada em 13/02/20 às 22h47

AMEG apresenta plano de ações para 2020

Diretoria completa segundo ano de mandato em julho

Edilson Kernicki, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Henrique Sava

 

Irmãos Jefferson e Joelma Fedalto comandam a Associação de Moradores de Engenheiro Gutierrez

A diretoria da Associação de Moradores de Engenheiro Gutierrez (AMEG), formada pelos irmãos Joelma Fedalto (presidente) e Jefferson Fedalto (vice), completa o segundo ano de mandato em julho deste ano. Ambos apresentaram o plano de ações da Associação para o ano de 2020, em entrevista no programa “Meio Dia em Notícias” do dia 20 de janeiro. A criação de uma sede própria da Associação e a melhoria da Capela Mortuária estão entre os principais objetivos.

Ao longo de 2019, a AMEG aprovou um novo estatuto, que atualizou o documento anterior, de 2006; organizou equipes de apoio, como a Comissão da Capela Mortuária e a Coordenação das Artesãs, com respectivos regulamentos e normas para seu bom funcionamento.

Foram oferecidos vários cursos para a comunidade durante o ano, entre eles, cursos gratuitos de culinária, de artesanato e de costura. A AMEG realizou o projeto “Primeiros Acordes”, que formou 15 alunos em aulas de violão disponibilizadas para crianças e adolescentes. O projeto “Artesãs da AMEG” foi reestruturado e conquistou a doação de duas novas máquinas de costura para as artesãs, que se reúnem todas as quartas-feiras à tarde. A AMEG também apoiou atividades que envolvem a dança, como as aulas de Zumba, para as mulheres e aulas de Ritmos e de Dança Livre, para crianças. Ainda em 2019, teve início o projeto de arborização no bairro.

Durante o ano, a AMEG promoveu eventos voltados à comunidade local, a exemplo do Arraiá da Melhor Idade; do Cinema no Bairro, com a exibição do filme “Zé, a vida como ela é”; palestras de orientação, prevenção e motivação durante a campanha “Outubro Rosa” e encerramento do ano, em parceria com a escola municipal, com apresentações natalinas, apresentação dos alunos do curso de violão e da dança livre. Cerca de 400 pessoas participaram desse evento.

Quanto à infraestrutura, o bairro ganhou melhorias como a organização do trânsito diante das escolas municipais e do colégio estadual, com a construção de travessias elevadas, calçadas e de recuo prioritários para os ônibus escolares, melhorias na sinalização e alteração do trânsito para via de mão única. Também houve melhorias nas ruas principais e o manilhamento de algumas delas.

Quer receber notícias pelo WhatsApp?

PUBLICIDADE

Outra importante realização de 2019 foi a alteração do mapa de divisa entre os bairros Engenheiro Gutierrez e Riozinho, através da aprovação da lei municipal 4706, de 14 de agosto de 2019. Os limites voltaram a ser os que foram historicamente definidos e que já eram conhecidos pela população, considerando o contexto histórico-geográfico e o sentimento de pertença da comunidade e em respeito à área de abrangência da Associação.

Projetos para 2020

Para este ano, a diretoria da AMEG quer manter a oferta de cursos, oficinas e palestras voltados para capacitação e geração de renda. Em função disso, um dos principais objetivos de 2020 é o de estruturar o Centro Comunitário do bairro a fim de torná-lo a sede da Associação. A AMEG também pretende melhorar e reestruturar as instalações da Capela Mortuária e, para isso, recebeu auxílio do vereador José Bodnar, que é engenheiro civil, e do desenhista projetista Tiago Carneiro, que se voluntariaram para elaborar os projetos. Para isso, já no ano passado, a AMEG corria atrás do reconhecimento como entidade de Utilidade Pública Estadual. A Associação já possui o título municipal de Utilidade Pública, que a ajuda a obter recursos municipais.

“Temos uma necessidade muito grande de termos uma sede para trabalharmos nossos cursos. Atualmente, temos uma parceria com as igrejas da comunidade. Os espaços que usamos para cursos e eventos são da igreja”, explica Joelma.

Com a finalidade de criar um espaço de entretenimento, lazer, cultura e de implantar um local para encontros e feiras, a AMEG vai realizar o projeto “Praça Pública”, a fim de revitalizar a antiga quadra de esportes.

A Associação pretende, ainda, desenvolver o projeto “Resgate Histórico”, a fim de registrar e documentar a história do bairro. O objetivo é criar um museu e recriar, em escala menor, a estação ferroviária que havia no bairro e que, durante muito tempo, serviu para o transporte de passageiros e cargas. Vale lembrar que o bairro surgiu e se desenvolveu ao redor da linha férrea.

A finalidade é manter o projeto de arborização, iniciado em 2019, que visa a melhoria da qualidade de vida através da criação de um espaço harmonioso e da promoção da educação ambiental.

Consta, ainda, entre as metas de 2020, desenvolver a Feira de Artesanato, para a comercialização, reconhecimento e valorização do trabalho das artesãs do bairro e, por fim, desenvolver o projeto AMEGuinhos do Bairro, que é semelhante ao de escoteiros. O projeto usa a sigla da própria associação para fazer um jogo de palavras. A ideia é que haja uma atuação similar à de um grupo de escoteiros, a fim de trabalhar com crianças e adolescentes questões relacionadas à cidadania, educação ambiental, valores e princípios – amizade, respeito, comprometimento – e motivar essa faixa etária do bairro.

Recursos

A AMEG capta recursos através de um sistema de contribuição voluntária, com os próprios moradores. “As famílias têm contribuído voluntariamente para manter a associação. Uma pessoa a cada três meses passa em todas as casas fazendo a arrecadação. Cada família contribui com um valor de R$ 5 mensais”, explica a presidente da associação.

Existem cerca de 475 famílias cadastradas na associação, o que perfaz um total de 1.732 moradores. Dessas, 360 são contribuintes voluntários. “De pouco em pouco, conseguimos manter a associação, toda a parte burocrática da associação, cursos e projetos sociais. Sempre investimos um pouco, apesar de termos parcerias com a Assistência [Social], com o Provopar e o CRAS. Muitas coisas nós temos que ajudar também, por isso, investimos”, afirma.

O valor arrecadado também é aplicado na manutenção da Capela Mortuária, que foi construída e é mantida pela AMEG.

Na sexta (24), a Associação de Moradores de Engenheiro Gutierrez terá uma reunião para a prestação de contas, apresentação do relatório de atividades de 2019 e do plano de ações para 2020. “Nesta reunião, também faremos a apresentação e aprovação do regulamento da Capela Mortuária”, diz.

Eleições

O atual biênio se encerra em agosto. Conforme o novo Estatuto, cabe à diretoria da Associação fazer o processo eleitoral cerca de 30 dias antes do fim do mandato. Em junho, será formada a Comissão Eleitoral e será aberto o edital para a formação das chapas que pretendem concorrer à diretoria no biênio 2020-2022. As regras básicas para concorrer são que o morador seja maior de 18 anos e que esteja cadastrado na AMEG há, no mínimo, 60 dias.


Comentários