Geral / Esportes

17/12/12 - 02h46 - atualizada em 17/12/12 às 02h53

Com iratiense no comando, Ivaí ergue a taça de campeão da Série Prata

Título foi conquistado após empate por 4 a 4 contra o Foz do Iguaçu na terceira partida da decisão da divisão de acesso do Campeonato Paranaense de Futsal
Rodrigo Zub


André Demczuk (último em pé da esquerda para direita) ao lado do elenco do Ivaí campeão da Série Prata
Depois de bater na trave em 2004, o professor de Educação Física, André Demczuk (Dedé), ergueu a taça de campeão da Série Prata de Futsal. O treinador iratiense, que tinha ficado com o vice-campeonato há oito anos quando ainda atuava como jogador conquistou a competição no sábado, 15. Na decisão da divisão de acesso do Campeonato Paranaense, o Ivaí Esporte Clube, equipe comandada por Dedé, empatou por 4 a 4 com o Foz do Iguaçu. Mesmo assim, o resultado foi suficiente para garantir o título inédito para o alviverde da região dos Campos Gerais. Os ivaienses jogavam com a vantagem do empate para se sagrar campeões em função de ter obtido a primeira posição na classificação geral da Série Prata, nas duas primeiras fases da competição.

Jogador

Em 2004, André Demczuk atuava como jogador da extinta equipe do Wisa/Fascinus/ Irati Futsal que perdeu a decisão da Série Prata para o Marechal Cândido Rondon.

O encontro entre Ivaí e Foz do Iguaçu realizado no sábado, 15, no ginásio Edson Borochok, foi o terceiro entre as duas equipes no playoff decisivo.  Os outros dois confrontos também terminaram empatados. Na partida de ida, Foz e Ivaí empataram por 4 a 4, enquanto que a segunda partida terminou com o placar de 3 a 3.

Os dois finalistas da Série Prata se enfrentaram sete vezes ao longo da competição. Ivaí levou uma pequena vantagem com duas vitórias contra uma do time da Tríplice Fronteira. Os outros quatros jogos terminaram empatados.

Ivaí fez barba, cabelo e bigode na divisão de acesso do Paranaense de Futsal. O time de Dedé foi campeão e ainda teve o ataque mais positivo e o goleador da competição. Em 27 partidas, o pivô Clade, que já atuou pela equipe da Assifusa, de Irati, somou 35 gols. O ala Leandro Fussa, foi outro destaque do alviverde na Série Prata ficando com a 3ª colocação na tabela de artilheiros.

Mesmo com o vice-campeonato, o Foz do Iguaçu teve motivos para comemorar. A vaga na final da Série Prata garantiu o retorno da equipe à divisão de elite do Futsal Paranaense em 2013. Ivaí também conseguiu a vaga entre as 16 melhores equipes do Estado.

O título da Série Prata foi o segundo dos ivaienses em 2012. No início do ano, o alviverde conquistou a Recopa dos Campos Gerais após derrotar o rival e vizinho Keima Futsal, de Ponta Grossa.

Continuidade

Em entrevista à equipe da Najuá na semana passada, o diretor financeiro do Ivaí, Márcio Marques falou sobre continuidade da equipe e a formação do elenco para 2013. De acordo com ele, jogadores mais experientes serão contratados para reforçar o elenco, principalmente em função do nível da Série Ouro de Futsal. Mesmo assim, esse não é o único fato que justifica os investimentos em novos atletas, reforça Marques. “A Série Ouro é um campeonato que exige mais. Teremos dois jogos por semana e por isso, necessitamos de mais atletas compondo o elenco”, adianta.

Apoio e patrocinadores

Questionado em relação ao apoio dos empresários e iniciativa privada, Marques relatou que a prefeitura de Ivaí subsidia o transporte da equipe, enquanto que patrocinadores de Guarapuava, Ponta Grossa e da própria cidade ajudam a custear outras despesas do clube.  O diretor financeiro comenta que a equipe gasta em torno de R$ 30 mil por mês. “Nesses gastos estão incluindo despesas de alimentação, hospedagem, transporte e salários dos atletas”, ressalta.

Auxílio da prefeitura

Para Marques, o auxílio financeiro é fundamental para manter a equipe em atividade. Por isso, ele reforça o pensamento e a cobrança para que os novos administradores do município, prefeito e vereadores eleitos neste ano, incluam no orçamento verbas para ajudar nas despesas do clube.

“Se a prefeitura não ajudar nós vamos buscar ajuda de patrocínios. No entanto, isso é lazer e os administradores municipais têm que entender que devem ajudar, pois a maioria das pessoas espera com ansiedade até a chegada do fim de semana para acompanhar uma partida de futsal. Isso é o lazer da população. Não podemos tirar esse direito das pessoas”, expõe.



Comentários