Futebol / Esportes

05/08/13 - 18h13 - atualizada em 05/08/13 às 18h20

Jardim Aeroporto/Wisa vence partida de ida da final do Interbairros

Equipe venceu Jardim Planalto/DER por 1 a 0 e precisa apenas de um empate para levantar a taça de campeão da competição
Rodrigo Zub e Tadeu Stefaniak


A final do Campeonato Interbairros de Irati foi uma prova que o futebol se constrói por meio de amizades e dentro das famílias. Irmãos atuando no mesmo time e até pai comandando do banco de reservas o filho. Neste clima, o Jardim Aeroporto/Wisa derrotou o Jardim Planalto/DER e saiu na frente em busca do título da competição.

Jonas foi o autor do único gol da partida disputada na tarde de sábado, 3, no estádio Abraham Nagib Nejm, em Irati. Jonas foi um dos atletas que atuou ao lado do irmão Renatinho. Além dele, Gino e Gilson, e Evinho e Branco foram os outros irmãos que atuaram lado a lado no time vencedor. No Jardim Planalto/DER, Neno e Graciel, formaram a dupla de irmãos que participou do jogo. Cada time ainda contou com pai e filho em seu elenco. No Jardim Aeroporto/Wisa, Ramón (filho) atuou como titular ao contrário do pai Neizinho, que entrou no segundo tempo. Do outro lado ocorreu o inverso. Cuca começou no banco de reservas e Ramos (pai) iniciou a partida. Alceu treinador do Jardim Planalto/DER é pai dos irmãos Neno e Graciel. Por fim, o diretor do Jardim Aeroporto/Wisa, Tadeu Specht é pai de Gino e Gilson.

Na preliminar se enfrentaram as equipes do CRB e Rebouças. O confronto válido pela categoria Veteranos terminou empatado em 0 a 0. A partida de volta válida pela final da competição será realizada no dia 17 de agosto.

Fotos: Tadeu Stefaniak

{album}

Ficha Técnica:
Jardim Aeroporto/Wisa 1 x 0 Jardim Planalto/DER


Jardim Aeroporto/Wisa: Gilson, Gil, Celso, Gino e Rabaé, Fabiano, Évinho, Cré (Neizinho) e Renatinho (Fernando), Jonas (Branco) e Ramon.

Jardim Planalto/DER: Graciel, Léo, Ramos, Paulo e Ceará, Piranha (Cuca), Adivoel, Carneiro e Murilo, Miguel e Neno.

Arbitro: Ederson Gonçalves, auxiliado por Amarildo Rodrigues Matozo e Antonio Carlos de Oliveira




Comentários