Futebol / Esportes

12/12/15 - 14h46 - atualizada em 14/12/15 às 14h59

Iraty Sport Club elege novo presidente na segunda-feira

Clube possui dívida de quase R$ 829 mil, sem contar o penhor do terreno do estacionamento, segundo atual presidente
Da redação, com reportagem de Ademar Bettes, Neizinho Pepe e Tadeu Stefaniak

Campeão paranaense em 2002, Iraty não disputa competições do futebol profissional desde 2012
O Iraty Sport Club elege na segunda-feira (14) a nova composição do Conselho Diretor, para o biênio 2016-2017. A direção terá o desafio de compensar a dívida atual do “Azulão”, cuja cifra se aproxima de R$ 1 milhão.

Três chapas concorrem à presidência do Conselho Diretor. Uma delas é composta por Marcos Marques, como presidente e Hélio Salmon, como vice. Jorge Ruteski concorre à reeleição como presidente, tendo agora Rodrigo Maravieski, que foi secretário na última gestão, como vice. Segundo ele, Arnaldo Maciel, o atual vice, abriu mão do cargo para o próximo biênio. A terceira chapa que está na disputa é formada por Reinaldo Jorge Juliano (Chocolatinho) como presidente e Cícero Moreira Gomes (Xiru) como vice.

Dívidas

As dívidas relativas a impostos atrasados (PIS, COFINS, Imposto de Renda), na Procuradoria da Fazenda Nacional, que estão indo para cobrança judicial, somam R$ 575.186,86, segundo a atual diretoria. Levantamento feito pelo Ministério do Trabalho, em outubro, indica que o clube deve R$ 179,8 mil em Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS).

Outras dívidas relativas ao período até 2013 envolvem: contador – R$ 30 mil; aluguel de casas na imobiliária Laskoski - R$ 2 mil; Terezinha Pabis, que fornecia alimentação para os jogadores – R$ 21 mil; supermercado Ivasko – cerca de R$ 20 mil; Posto Rota 400 – R$ 850. Somados esses valores, as dívidas retroativas do clube estão em R$ 828.836,86.

Sérgio Malucelli foi eleito presidente do Conselho Deliberativo

Perto da eleição para a nova diretoria do Iraty Sport Club, a escolha do novo Conselho Deliberativo, que ocorreu há alguns dias, ainda é motivo de controvérsia. Sérgio Malucelli foi eleito presidente do Conselho Deliberativo.

O atual presidente do Iraty contesta a autenticidade da escolha, porque não haveria, segundo ele, uma ata oficial da eleição. “Não existiu ata de posse do presidente do Conselho Deliberativo. Assinaram um documento com a relação dos conselheiros para o biênio 2016-2017. Pegaram a assinatura das pessoas. Um documento que não tem validade nenhuma, no meu entender. A própria pessoa que comandava a reunião falou que quem assinou era a favor do presidente do Conselho, quem não assinou estava contra”, critica. Mesmo discordando da forma como realizada a eleição para o Conselho Deliberativo, Ruteski disse que não pretende impugná-la.

Antes de falar sobre a situação financeira do clube, Ruteski fez questão de esclarecer que, ao contrário dos boatos que circulam na cidade, o faturamento do clube é originado pela venda de atletas a clubes internacionais, pelo que recebe uma porcentagem. “Nunca recebemos nenhum centavo do antigo gestor do clube. O que vem é pela venda de jogadores a clubes fora do País e o Iraty Sport Club tem [direito a] uma porcentagem sobre esse jogador”, salienta.

Negociações de atletas formados no Iraty

Ruteski destaca que o Iraty mantém uma advogada no Rio de Janeiro para tratar dos acertos com os clubes internacionais para o passe de atletas e lidar com questões atinentes à FIFA. “Tudo o que é pago está documentado; tudo acertado, tudo na contabilidade do clube. Todo o dinheiro que entra do exterior entra pelo câmbio e temos que fazer o fechamento do câmbio e fazer os lançamentos na contabilidade do clube”, afirma.

O atual presidente se recusou a mencionar valores, mas disse que a venda do passe do jogador Wendell Nascimento Borges, no início do ano passado, para o Bayer Leverkusen, da Alemanha. “Foi um valor razoável que veio, e veio em boa hora, pois estávamos com a corda no pescoço. Depois da enchente, tivemos que deixar de pagar impostos para ajeitar toda a estrutura da parte social. Quando veio esse dinheiro, acertamos tudo. De 2014 e 2015, não devemos nada. O que tem [de dívidas] é de 2013 para trás”, enaltece. Também houve uma multa imposta ao Al Sharjah, dos Emirados Árabes Unidos, imposta pela FIFA, relativa ao contrato do zagueiro Maurício Ramos, contratado pelo clube em 2013 e, ainda, outra multa dada pela FIFA ao Grêmio, relativa a outro jogador, que Ruteski não soube dizer quem era. “Veio um valor, mas não muito grande”, salienta. O Iraty ainda deve receber duas outras parcelas dessa multa no ano que vem.

“Todo jogador que é feito transação fora do país, essa advogada [do Rio de Janeiro] automaticamente entra com o pedido de ressarcimento da porcentagem que o Iraty tem”, reforça. A advogada recebe 20% do valor das transações como honorários.

Pagamento das dívidas

Segundo Ruteski, o valor obtido pelo clube com a multa da FIFA sobre o clube que hoje detém os direitos sobre Wendell foi utilizado para cobrir dívidas do Iraty anteriores à sua gestão, que já vinham sendo cobradas judicialmente. Uma dívida com o Salamaia; outra com Terezinha Pabis, que fornecia alimentação aos atletas – dívida de R$ 41 mil, dos quais já foi paga a metade; outra com o advogado Gelson Luiz Chaicoski, que cobriu uma dívida de R$ 10,2 mil e impediu que um terreno do Iraty fosse a leilão; diárias no Hotel Luiz XV, de 2012, que totalizavam R$ 7,5 mil.

Duas dívidas trabalhistas foram acertadas com o valor obtido pelo Iraty com a multa recebida do Grêmio. Antes, o Iraty pretendia penhorar bens, que já estavam indo a leilão, mas os advogados não aceitaram.

Ruteski assegura que todas as dívidas pagas usaram dinheiro obtido com a transação de jogadores e que nada foi retirado do caixa da parte social do Iraty. “Estou preservando a parte social e não tirei um centavo dela para pagar dívida que não era nossa”, ressalta. Aliás, parte do valor obtido com a transação do jogador Wendell foi aplicado na pintura da parte social, depois da enchente.

Segundo ele, quem assumir a presidência do clube em 2016 não terá dívidas relativas ao biênio 2014-2015. No entanto, restam dívidas do Iraty anteriores a esse período. “Como eu assumi o ativo e o passivo, a outra pessoa também vai assumir”, complementa.

Comentários