Futebol / Esportes

19/05/12 - 02h38 - atualizada em 19/05/12 às 02h52

Iraty: diretoria não cumpre promessa e funcionários continuam com salários atrasados

“Eles prometem que vão pagar, mas não estipulam data e dizem que o Sérgio Malucelli está sem dinheiro”, afirma o goleiro Doni
Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e Jussara H. Bendhack


A situação do Iraty vai de mal a pior. Dentro de campo a diretoria anunciou que o clube encerrou as atividades do futebol profissional depois do rebaixamento para a divisão de acesso em 2013. Fora dele, o clube está há três meses sem pagar o salário de funcionários e jogadores. Até a rescisão de contrato com o ex-treinador Edson Paulista não foi acertada. A situação do clube é tão desesperada que até algumas necessidades básicas, como luz, água e alimentação estão sendo cortadas em função da falta de pagamento para empresas iratienses.

Casado e pai de dois filhos, Doni espera que clube pague os três meses de salários atrasados
Na tarde de sexta-feira, 18, a reportagem da Najuá, conversou com o goleiro Doni, que foi titular do Iraty durante o Paranaense 2012.  Doni afirmou que a diretoria não honrou com todos os pagamentos de nenhum atleta que integrou o elenco do Azulão neste ano.  “Eles prometem que vão pagar, mas não estipulam data e dizem que o Sérgio [Malucelli] está sem dinheiro”, afirma Doni.

O goleiro comenta que a maioria de seus ex- companheiros já retornaram para suas cidades de origem. Esse processo tem ocorrido justamente porque a casa do atleta não dispõe mais da infraestrutura para abrigar os atletas. “Faz três semanas que acabou o campeonato. A maioria dos atletas foi embora. Eles não tinham mais dinheiro para ficar e a alimentação foi acabando também”, revela.

Ao contrário do que foi divulgado à imprensa pelo presidente Geraldo Campagnoli, Doni afirma que não foi estipulada uma data para que o clube regularize a situação com os jogadores e funcionários.  Vale destacar que o prazo comentando por Campagnoli, se encerrou na semana passada.

Doni possuía contrato até agosto com o Londrina, mas foi emprestado ao Iraty para disputar o Campeonato Paranaense
Goleiro diz que o clube dificultado o acerto com seus ex-atletas


O goleiro diz que, com muita luta conseguiu entrar em acordo com a diretoria para assinar a rescisão de contrato. Desta forma, ele conseguiu pelo menos ter direito a receber o fundo de garantia. “Eles optaram em não renovar o meu contrato que vence em agosto. Até aí tudo bem. Eu só sai com o passe. Agora peguei a minha liberação para correr atrás de algum clube. Por enquanto, vou ficar aqui até receber, pois moro em Irati”, comenta Doni.

Casado e pai de dois filhos, o goleiro espera que o clube cumpra com sua obrigação, mas afirma que a diretoria tem dificultado o acerto com seus ex-atletas. “Isso é sacanagem. Temos família para criar e eles estão enrolando na questão do acerto. Não recebi e ainda estou abrindo mão de tudo para poder ir embora”.

Perguntado sobre quais atitudes deve tomar em caso de não pagamento por parte do Iraty, Doni disse que sua intenção era sair “numa boa” do clube. No entanto, ele conta que pretende se reunir com a família para decidir o que fazer.

Comentários