Futebol / Esportes

16/01/13 - 11h44

FPF negocia com o Coritiba para usar Couto Pereira durante clássicos

O Coxa está disposto a emprestar, desde que todas as partidas contra o Paraná sejam incluídas. O Tricolor concorda, desde que seja resolvido logo
Globo Esporte

Couto Pereira pode barigar seis clássicos do paranaense

Os três grandes times de futebol da capital paranaense estão próximos de um cessar-fogo em prol do bem estar das torcidas. Coritiba, Atlético-PR e Paraná negociam para chegar a um acordo sobre o uso do Couto Pereira nos clássicos do Campeonato Paranaense.

Durante a semana, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) fez uma consulta ao Coritiba sobre a possibilidade de empréstimo. O pedido foi feito pelo presidente da entidade, Hélio Cury, e foi bem aceito pelo mandatário coxa-branca, Vilson Ribeiro de Andrade.

"O presidente Hélio Cury está preocupado com o espetáculo dos clássicos em função de que o Janguito Malucelli (casa provisório do Atlético-PR) teria dificuldades. O Coritiba se colocou aberto para a discussão, não tem problema, apenas algumas arestas para definir" - diz em entrevista para a Rádio 98 FM Curitiba.

A única exigência que o Coritiba faz é que o Paraná também mande o clássico contra o Coxa no Couto Pereira. Sendo assim, os dois Atletibas, Paratibas e os encontros entre Atlético-PR e Paraná Clube seriam realizados no Alto da Glória. Outra preocupação coritibana é sobre as cadeiras que pertencem aos sócios cativos, no setor da social superior. A tendência é que a parte não seja ocupada durante os jogos do acordo.

"Desde que todos os clássicos sejam realizados no Couto e desde que tenha uma coerência na análise positiva sobre a distribuição de torcidas. É uma preocupação do Coritiba, até porque o Cortiba tem cinco mil proprietários de cadeiras cativas. São alguns obstáculos a serem superados, mas eu vejo boa vontade" - finaliza Andrade.

Cury confirma a vontade da Federação Paranaense em ter um acordo entre os três times, com o objetivo de facilitar a segurança e conforto dos torcedores durante os clássicos. Segundo ele, os três times já foram procurados individualmente e demonstraram boa vontade para fechar o acordo. "Já que se tornou uma conversa aberta, existe sim a conversa para ter os três clássicos em um estádio só. Vai facilitar a vida dos torcedores e dos próprios clubes, que não vão se preocupar com a capacidade limitada do Ecoestádio. Na minha opinião, é um caminho mais coerente" - declara, em entrevista ao globoesporte.com

O presidente da FPF destaca que nos próximos dias vai tentar agendar uma reunião com três representantes de cada clube para definir os últimos detalhes.
"Em um primeiro momento, eu senti a boa vontade de todos, o que já é um bom começo. Agora precisamos resolver uma série de detalhes que envolvem o empréstimo para depois bater o martelo. Vamos marcar uma reunião com os três representantes e ver qual é o melhor caminho. Mas estou otimista" - completa.

O vice-presidente do Paraná Clube, Celso Bittencourt, não vê problemas no acordo. Segundo ele, o Paraná está disposto a negociar a Vila Capanema diretamente com o Atlético-PR ou seguir a proposta da Federação, com os acréscimos feitos pelo Coritiba. A única exigência é que seja definido durante a semana. A pressa é por causa do clássico contra o Furacão, que acontece já na terceira rodada.

"O Paraná está aberto a qualquer negociação que seja melhor para todos, desde que seja resolvido agora, pois o primeiro clássico já é na terceira rodada. Nós fazemos um planejamento e precisamos acertar logo. Se for negociar, vamos conversar durante a semana. Nós estamos dispostos a ajudar" - diz, em entrevista ao globoesporte.com

Novela se arrasta desde o ano passado

O assunto não é uma novidade no futebol paranaense. Como o Atlético-PR vai usar a Arena da Baixada na Copa do Mundo de 2014, o estádio passa por reformas e está interditado desde o ano passado. Na última edição, o Furacão tentou emprestar o Couto Pereira, mas interrompeu as conversas com o Coxa e tentou impor o uso da casa alviverde através dos tribunais desportivos. O fato criou uma antipatia entre as duas partes.

Com as relações estremecidas, o Atlético-PR teve que revezar entre o Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa; o Ecoestádio Janguito Malucelli e a Vila Capanema - após um acordo com o Paraná.

Durante as partidas do Paranaense 2013, o Atlético-PR vai continuar no Ecoestádio, mas o local não oferece conforto e segurança para grande clássicos. A capacidade máxima é cerca de apenas oito mil pessoas, porém em clássicos o número cai para seis mil torcedores. Por isso a busca por um caminho que valorize mais as principais partidas.

Comentários