Futebol / Esportes

14/08/13 - 09h05 - atualizada em 14/08/13 às 09h08

Dado usa coletiva para expor salários atrasados: 'O Paraná precisa de ajuda'

Técnico diz que funcionários, jogadores e comissão técnica estão sem receber e faz apelo a torcedores, empresários e dirigentes
Globoesporte.com - Curitiba 

Dado Cavalcanti pediu ajuda e também cobrou por melhorias

O técnico Dado Cavalcanti abriu o jogo sobre a situação do Paraná Clube, após a vitória por 3 a 1 sobre o Boa Esporte, na noite desta terça-feira, na Vila Capanema. O treinador apareceu para a entrevista coletiva sobre o jogo, mas a utilizou para fazer um pronunciamento expondo os problemas internos. Ele contou que o clube passa por dificuldades financeiras, com atraso no pagamento dos funcionários, dos jogadores e da comissão técnica.

Segundo o treinador, os funcionários já estão com mais de dois meses de atraso e alguns jogadores não recebem seus vencimentos há um mês. Além disso, segundo ele, a própria comissão técnica também está sem receber. Ele fez um apelo aos torcedores, a empresários e também à diretoria do clube para que achem uma solução.

- O Paraná precisa de ajuda. Precisa de seus torcedores, de seus conselheiros, dos seus sócios, porque existem funcionários com dois meses atrasos, além de jogadores e comissão técnica.

Ainda conforme o técnico, alguns jogadores estão doando cotas de dinheiro para ajudar funcionários em maior dificuldade. O treinador ainda contou que o problema já vem causando transtorno para todos, mas que escolheu uma vitória do Paraná para apesentar o problema.

- Esperei por duas semanas, porque, se você perde o jogo, soa como desculpa de perdedor. Esperei a vitória para fazer um apelo. Estou saindo do muro, colocando minha cara a tapa. Isso é função do comandante. Estamos imbuídos em levar o Paraná para primeira divisão, mas o Paraná precisa de ajuda - repetiu.

Uma das críticas diretas do técnico Dado Cavalcanti foi à dificuldade da diretoria em conseguir renda através de patrocínios e vendas de publicidade. Ele lembrou que o clube ainda não tem um patrocínio máster na camisa. Nas últimas duas partidas, o time estampou a marca de uma rede de restaurantes, mas pelo tempo limitado de dois jogos.

- Temos todas as possiblidade de subir, mas não podemos fazer isso sozinho. Não podemos passar um ano sem um patrocinador máster. Estamos brigando de igual para igual com equipes que tem salários bem maiores.


Dirigente assume os problemas do clube

Logo após o pronunciamento de Dado Cavalcanti, o vice-presidente do Paraná, Paulo César Silva, também falou, mas não respondeu às perguntas. Silva reconheceu que o time passa por muitas dificuldades financeiras e afirmou que o clube está “abandonado” por empresários e pela sua torcida.

- Não pode um time que está no G4 e ter quatro mil pagantes no estádio. Gostaria que os torcedores fizessem um esforço e viessem ao estádio. Aos empresários paranistas, está difícil e não sei se vamos chegar. As dificuldades são muito grandes.


Paraná já teve greve de treino de jogadores

A situação complicada do Paraná Clube não é novidade e vem se arrastando há anos chegando ao ponto de, no ano passado, acabar em uma greve de treino dos jogadores, que cruzaram os braços até receber os salários.  Na ocasião, os jogadores que comandaram o protesto, mas com apoio do então técnico Toninho Cecílio.


Comentários