Irati e Região / Notícias

12/03/12 - 23h21 - atualizada em 20/02/14 às 18h23

Solução para a estrada que liga Irati a Gonçalves Junior ainda está por vir

Secretário de Infraestrutura esteve em Irati e constatou a precariedade do asfalto. Pepe Richa não descartou a intervenção do Estado, no entanto, a solução para o impasse ainda vai ser estudada
Jussara Harmuch Bendhack, com reportagem de Rodrigo Zub


Pepe esteve ao lado de Stoklos e Marisa Lucas para verificar as condições da estrada de Gonçalves Jr


Em visita de caráter técnico ao Centro-Sul, no final de fevereiro, o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho (Pepe), viu de perto as precárias condições do asfalto da estrada municipal que liga Irati ao distrito de Gonçalves Junior. O prefeito Sérgio Stoklos, que está licenciado do cargo, acompanhou Pepe, assim como o secretário do Desenvolvimento Urbano, Cezar Silvestri, que fez parte da comitiva. Ao lado da prefeita em exercício, Marisa Massa Lucas, Stoklos, mais uma vez, reiterou o pedido de parceria junto ao estado para que seja realizada a pavimentação do trecho de aproximadamente 12 Km. De acordo com ele, o custo da obra gira em torno de R$ 3 milhões.

A rodovia que antes era prioritariamente utilizada para transporte escolar é importante meio de ligação com o distrito de Itapará e várias outras comunidades e hoje serve para escoamento da safra agrícola e produtos de origem animal, além de ser a porta de saída para a madeira extraída de áreas de reflorestamento.

O secretário não descartou a responsabilidade do governo estadual e disse que compreende a dificuldade dos municípios, mas ainda vai estudar o que pode ser feito. “O prefeito não pode fazer a obra sozinho. É por isso, atendendo ao pedido do governador Beto Richa, que os secretários vão até o local para conversar com as pessoas. Não há dúvida que a estrada é usada para outros fins e transitam caminhões pesados. Por enquanto vamos estudar uma ação emergencial para resolver problemas pontuais, mas uma ação de médio e longo prazo tem que ser definida para todo o estado envolvendo o secretário de Planejamento Taniguchi (Planejamento e Coordenação Geral, Cassio Taniguchi) e o Hauly (Luiz Carlos), da Fazenda”, disse Pepe.

Comunidade fez protesto em 2011

No início de dezembro do ano passado, indignados com a falta de conservação e das condições precárias de alguns trechos da estrada que liga Irati a Gonçalves Junior, agricultores e moradores locais organizaram um protesto que reuniu cerca de 300 pessoas.

Tentando dar uma resposta à comunidade local e evitar a manifestação, um dia antes, o prefeito Sérgio Stoklos viajou à Curitiba, e esteve na secretaria de Infraestrutura, acompanhado da secretária de Viação e Serviços Rurais, Rozenilda Romaniw Bárbara e dos vereadores Sidnei Jorge, Rafael Lucas, Vilson Menon, Ailton Laroca, Hélio de Mello e do presidente da Câmara, Laudelino Filipus.

Quem recebeu o grupo de Irati em nome do governo foi José Pedro Weinand, engenheiro do DER, que falou em nome do diretor geral do DER/PR (Departamento de Estradas de Rodagem) Nelson Farhat e do coordenador de programação da Diretoria de Operações do DER/PR, Paulo Milani.

Na ausência de qualquer tipo de definição por parte do estado, apesar da insistência e justificativas do prefeito Stoklos-que apresentou uma documentação com o diagnóstico da situação-, os representantes voltaram para casa de mãos vazias. Leia mais sobre esta reportagem.

Em outra oportunidade, quando esteve em Irati, o deputado estadual César Silvestre Filho que havia designado um assessor para acompanhar a reunião da comitiva iratiense, foi perguntado pela reportagem da Najuá sobre o que fez ao tomar conhecimento. Silvestri Filho contou que no mesmo dia ele conversou com o diretor geral do DER/PR Nelson Farhat e que estaria disposto a ajudar no trâmite dentro da assembleia. (JHB)

A estrada tinha o propósito de melhorar o acesso de crianças e jovens à escola e foi construída pelo Estado há vários anos através do programa “Caminhos da Educação”, que asfaltou 5 mil km de estradas e deixou outros municípios na mesma situação que Irati, conforme explicou o engenheiro do DER, José Pedro Weinand, que recebeu uma comitiva de Irati em Curitiba no final do ano passado.
 
Richa Filho lembrou que o governo estadual também tem limitações, por isso, ele trouxe a bancada de deputados, para buscar recursos frente à demanda de todo o estado. “A cada 20 dias temos uma situação emergencial”, disse. Segundo ele existem vários editais de conservação, manutenção e construção de novas rodovias em andamento. Recursos que chegam a R$ 1, 3 bilhão, segundo o secretário. A discussão salarial com os servidores desencadeada neste início de ano, inesperada, afeta o equilíbrio das contas e dificulta os investimentos necessários, alega.

“São R$ 9 bilhões de investimentos garantidos e negociações de R$ 15 bilhões. Posso citar R$ 1bilhão e meio com a Renault e com a Votorantim, uns R$ 650 milhões. Da Paccar/DAF de caminhões em Ponta Grossa, mais uns R$ 400 milhões. São valores que acabam nos obrigando a investir em infraestrutura”, analisa.

Sob nova direção

Depois da fase inicial, em 2011, para adequar as contas, o governo muda de direção. “Estamos ‘sob nova direção’. É hora de pisar no acelerador”, diz o secretário.

Estadualização

A questão da estadualização da estrada foi outro assunto comentado. Para Pepe, primeiro é preciso adequar os municípios que não estão ligados à malha viária estadual, pois acabam sendo excluídos dos investimentos do Estado e até mesmo das verbas federais para infraestrutura. “Estadualizar é uma questão eminentemente técnica, tem que ver a necessidade e a ligação com o sistema estadual. No passado teve várias [estadualizações], mas retrocederam porque havia problemas legais”, lembra.

Depois de verificar as condições da estrada, José Richa Filho esteve na Escola Municipal Colonizadora e no Colégio Estadual Gonçalves Júnior. Acompanharam a comitiva na visita, os deputados estaduais Marcelo Rangel, César Silvestre Filho (ambos do PPS) e Artagão de Mattos Leão Júnior (PMDB).

Pepe (ao centro) visitou também a Escola Municipal Colonizadora e o Colégio Estadual Gonçalves Júnior
Comitiva de deputados estaduais e autoridades municipais acompanharam a visita técnica

















Edital de licitação da PR-364


Perguntado sobre o andamento do edital de licitação da PR-364 que liga Irati a São Mateus do Sul, obra prevista no orçamento de 2012, José Richa Filho disse: “Estamos terminando o edital para contratação do projeto”.

Edital de licitação da PR-364 está sendo concluído, diz Richa
A autorização para instalar processo licitatório para elaboração do projeto executivo de engenharia foi publicada no Diário Oficial do Paraná em 29 de novembro de 2011. A extensão do trecho corresponde a 47 Km e o valor máximo estipulado é de R$ 1,392.985.


Manifestações


Há mais de duas décadas se discute a possibilidade do trecho de 48 de km entre as cidades de Irati e São Mateus do Sul ser asfaltado. No entanto, a pavimentação asfáltica deste trecho da PR 364 parece ser um sonho difícil de ser concretizado.

Na literatura a palavra novela se refere a uma narração, curta, ordenada e completa de fatos humanos fictícios, mas verdadeiros. No caso da PR-364, o mesmo termo pode ser aplicado em uma história que tem muitos capítulos, vários atores (governadores e políticos), mas por enquanto, sem o capítulo final. Uma novela sem final feliz para os agricultores locais e inúmeras pessoas que precisam utilizar a via.

Em 2011 duas manifestações bloquearam o acesso da rodovia por algumas horas. Uma delas aconteceu no dia 31 de outubro e a outra ocorreu vinte dias depois. A principal reivindicação dos moradores foi de que a estrada não oferece condições de trafegabilidade para escoar a safra e também para realizar o transporte escolar.
Como não existe previsão para o início das obras neste trecho, moradores sugeriram que o DER- órgão responsável pela via- providencie a manutenção da estrada.

Mas parece que desta vez o final vai ser outro. Uma novidade anunciada no final do passado trouxe esperança para os agricultores que aguardam com ansiedade para que a obra finalmente saía do papel. Uma emenda coletiva no valor de R$ 50 milhões para a pavimentação da estrada foi incluída no orçamento estadual de 2012.

*Edição: Rodrigo Zub


Saiba Mais

Comentários

Enquete

Em relação aos candidatos à presidência da república, você está?

  • Confuso (a)
  • Definido (a)
  • Indeciso (a)
Resultados