Irati e Região / Notícias

12/04/18 - 22h09 - atualizada em 12/04/18 às 22h10

Redução de pontos de táxi está sendo discutida em Irati

Em sua reunião mensal, Comissão de Trânsito também debateu a implantação de pontos de carga e descarga de caminhões durante o horário comercial

Edilson Kernicki, com reportagem de Paulo Henrique Sava  

Ponto de táxi na rua da Liberdade

A Comissão Municipal de Trânsito (CMT) de Irati estuda reduzir a quantidade de pontos de táxi no centro da cidade, que são considerados acima da demanda local. De acordo com a Comissão, somente na área central de Irati são 33 vagas e a maior parte delas está ociosa. A medida é vista como alternativa para ampliar a rotatividade de estacionamentos na área central. O assunto foi discutido durante a reunião mensal da Comissão, na terça-feira passada (3).

Também na reunião, foi discutida a possibilidade de se implantar pontos de carga e descarga de caminhões, em locais que possam ser utilizados durante o horário comercial, sem prejuízo ao trânsito no centro.

Conforme o presidente da CMT, o secretário de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Dagoberto Waydzik, a redução de pontos de táxi é pauta das reuniões há pelo menos três meses e, desde então, a Comissão buscou um parecer jurídico para deliberar sobre o tema junto ao prefeito e à Secretaria de Fazenda.

“Num raio de pouco mais de 100 metros a partir do Banco do Brasil, tanto para o lado da Rua da Liberdade quanto para o lado da Rua Coronel Emílio Gomes, existem quatro pontos de táxi. Isso já veio do passado. Mas, a meu ver, não se justifica [a quantidade]”, afirma Waydzik.

PUBLICIDADE

O presidente da CMT avalia que, se por um lado, a quantidade de pontos de táxi pode ser mantida, por outro, o número de vagas que eles ocupam pode ser diminuído. “Existem vagas para 33 veículos, restringindo o estacionamento de outro usuário. Vamos fazer uma reunião com os taxistas dali para reduzir essas vagas e dar mais possibilidades aos demais usuários, que também têm o direito de usar o estacionamento naqueles locais”, pontua.

Ainda não há uma solução, nem uma definição, para como ficariam os taxistas com a redução dessas vagas. Waydzik assegura, porém, que os taxistas serão ouvidos e a decisão será baseada em consenso entre as partes. “A ACIAI, que também reivindica essa situação, vai nos auxiliar nesse diálogo junto com os taxistas”, diz.

A CMT vai encaminhar ofício à Secretaria Municipal de Fazenda para verificar a regularidade das concessões dos pontos de táxi. “O taxista recebe uma concessão para utilizar aquele ponto; [haverá fiscalização] para ver se há pessoas que já não usam aquele local, mas que estão usando aquela vaga que poderia ser otimizada para outros motoristas”, explica.

Carga e descarga

Outra demanda levantada pela ACIAI à Comissão de Trânsito diz respeito à criação de pontos estratégicos para a carga e descarga de caminhões durante o expediente comercial, sem que o procedimento venha a atrapalhar ou impedir o trânsito durante esse período. Hoje, a carga e descarga de caminhões é permitida apenas fora de expediente comercial.

Para evitar que aqueles que perderem o horário pré-definido para carga e descarga tenham que aguardar durante o dia todo, foram estabelecidos três locais para a realização de carga e descarga no centro de Irati. A questão ainda será regulamentada apropriadamente.

“Se uma loja ou comércio estiver longe de um desses três pontos, ele vai descarregar ali e, com um veículo menor, vai levar ao estabelecimento dele. Existe dentro da Comissão de Trânsito uma Subcomissão que vai até esses pontos verificar qual o melhor local no centro da cidade”, acrescenta.

Foi cogitada a possibilidade de estender um pouco o horário em que é permitida livremente a carga e a descarga no centro da cidade, no período que antecede à abertura do comércio – das 7 às 9h. No entanto, a proposta foi recusada por unanimidade, devido ao caos que poderia gerar no tráfego em horários de pico. “O trânsito está bem congestionado por conta de um enorme acréscimo de veículos automotores nos últimos dez anos. Que bom seria se pudéssemos implantar mais ciclovias e mais vias de pedestre. Mas, infelizmente, a cultura do brasileiro é da preferência pelo veículo automotor”, frisa o presidente da CMT.


Comentários

Enquete

Considerando o ponto de vista da segurança pública, você concorda ou discorda da liberação da maconha?

  • Discordo
  • Concordo
Resultados