Irati e Região / Notícias

20/06/18 - 15h22 - atualizada em 21/06/18 às 13h18

Cida Borghetti destaca projetos para Irati e região

Pré-candidata natural à sucessão no Palácio Iguaçu, a governadora concedeu entrevista ao Café com Notícias nesta terça (19)

Da redação, com reportagem de Paulo Henrique Sava 

Governadora Cida Borghetti concedeu entrevista ao programa Café com Notícias, da Najuá FM 106,9, nesta terça-feira, 19

Pré-candidata natural à sucessão no Palácio Iguaçu, a primeira mulher a comandar, efetivamente, o Executivo Paranaense, a governadora Cida Borghetti (PP) concedeu entrevista no programa "Café com Notícias" nesta terça (19) e destacou projetos para Irati e região.

PUBLICIDADE

Ouça no fim da matéria o áudio completo da entrevista com a governadora Cida Borghetti.

PR-364, trecho Irati a São Mateus do Sul

Em 23 de março de 2018, o Governo do Estado autorizou o início do processo de licitação para pavimentar o trecho de 47,7 quilômetros da rodovia. Por ser um processo de licitação com financiamento internacional, através do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID), a estimativa era de que o certame durasse pelo menos dois meses.

Questionada se há expectativa de publicação do edital nos próximos dias, a governadora respondeu que todo o processo de licença ambiental já foi encaminhado tanto para o BID quanto para o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), o edita está sendo elaborado e deve ser lançado ainda durante o mês de julho.

“Todas as obras, em especial esta, foram planejadas durante o mandato do então governador Beto Richa e sua equipe, que organizou, e agora, nós estamos dando continuidade, com recursos de aproximadamente R$ 159 milhões, que vão beneficiar 112 mil habitantes das duas cidades, pois vai reduzir em mais da metade a distância, por estradas asfaltadas, que hoje é de aproximadamente 100 quilômetros. Também abre uma possibilidade de ligação entre duas importantes rodovias: a BR-153 e a BR-476”, frisou a governadora.

Na visão de Cida, a pavimentação do trecho vai facilitar também o deslocamento de quem vem de Santa Catarina e Rio Grande do Sul pelo interior do Paraná.

PUBLICIDADE

Centro Cultural Denise Stoklos

Totalmente paralisada desde 2010, a construção do Centro Cultural Denise Stoklos depende do investimento de mais de R$ 10 milhões para ser concluída e ainda outros R$ 3 milhões para a aquisição de equipamentos. A obra foi iniciada em maio de 2008, a partir de um convênio entre SEDU e ParanaCidade, com orçamento inicial de R$ 8,6 milhões.

“É um teatro importante, um centro cultural que vai abrigar importantes salas de artes e fomentar, assim, a cultura local e regional, com a possibilidade de grandes concertos. Quero dizer que há uma preocupação bastante grande do Governo, pois é uma obra planejada há mais de 10 anos. Já determinei ao secretário da Cultura e também a toda a nossa equipe técnica que faça o estudo e traga uma solução até o final deste mês”, respondeu Cida, ao ser indagada sobre a previsão orçamentária para a retomada da obra.

Em 2012, o governo de Beto Richa transferiu a responsabilidade pela obra da pasta da Cultura para a de Ciência e Tecnologia (SETI), quando a obra foi cedida à Unicentro, que inicialmente pretendia investir R$ 6,5 milhões na conclusão da obra e pleiteava o curso de Artes Cênicas, finalidade para a qual pretende usar o espaço. Mais tarde, o recurso disponível se mostrou insuficiente para terminar a construção planejada para ser um presente pelo Centenário de Irati.

PUBLICIDADE

Centro da Juventude Nagib Harmuche

Outra obra parada, há seis anos, que deve ser brevemente retomada, é o Centro da Juventude Nagib Harmuche, para a qual a Prefeitura de Irati assinou em maio o contrato com a empreiteira que venceu o certame para sua conclusão. No dia 17 de maio, mesmo dia em que o contrato foi assinado, a governadora anunciou a liberação do recurso para a obra. Entretanto, ainda falta a assinatura, por parte do Governo do Estado, da ordem de serviço para a continuidade dos trabalhos.

“É importante a população saber que vamos retomar a obra. Na primeira licitação, foram executados 75% da obra e, na segunda, a empresa desistiu, sem executar nada, e houve uma depredação desse patrimônio, inclusive”, afirmou Cida, sem, no entanto, precisar quando se dará essa assinatura.

PUBLICIDADE

Pedágio nas rodovias federais

Em 2015, a Gazeta do Povo revelou a intenção prematura do “Casal Barros” em viabilizar a antecipação da renovação dos contratos com as atuais concessionárias de pedágio, que se encerram em 2022, em troca de redução na tarifa e obras. A ideia era ampliar as concessões em troca de menos tarifa e mais investimentos em obras.

Na semana passada, a governadora notificou as empresas concessionárias do pedágio sobre a aproximação do encerramento dos contratos. Perguntada sobre a possibilidade de os trechos de rodovias federais que interligam o Paraná serem mantidas sem pedágio ou se o Governo do Estado tem condições de negociar tarifas reduzidas, Cida frisou que as concessionárias foram notificadas de que não haverá renovação dos contratos.

“Estamos buscando a delegação [União, que detém a responsabilidade sobre as rodovias federais] para decidir aqui no Paraná de que forma vamos construir, juntamente com a população, com o setor produtivo, ouvindo a população, através de audiências públicas regionais. E construir conjuntamente um modelo de que forma queremos, as obras que queremos incluir e também quanto iremos pagar. No mínimo, 50% a menos do que se paga hoje. Essa é uma justiça tarifária”, disse.

PUBLICIDADE

Segurança e penitenciárias

Cida também foi questionada sobre o que pode ser feito para melhorar a infraestrutura do sistema prisional paranaense, que tem registrado frequentes motins, fugas, delegacias superlotadas, policiais civis e investigadores em desvio de função, atuando como carcereiros, por exemplo.

“Assim que assumimos o Governo, há dois meses, ocupamos o espaço da Secretaria Especial de Administração Penitenciária e colocamos lá o coronel Hélio [de Oliveira Manoel], que está fazendo um trabalho... Conseguimos resgatar e assegurar um recurso para a construção de 14 presídios, dos quais três já estão em fase final de construção – dois na cidade de Piraquara e um na cidade de Campo Mourão. Só em Campo Mourão são 1,5 mil vagas, aproximadamente, e em Piraquara mais mil vagas, cerca de 500 em cada um. Os shelters, que são celas modulares, nós também já anunciamos algumas neste mês. Estamos avançando, construindo um novo modelo de gestão. Foi criado o Comitê de Transferência de Presos, que é coordenado pelo Tribunal de Justiça (TJ-PR). Estamos atentos a todas as demandas. Sabemos que temos um problema e, rapidamente, vamos retirando os presos das Delegacias, conforme as construções ficarem prontas, vão ser feitas as transferências dos presos, prioritariamente dos que estão nas delegacias já condenados”, comentou.

Perfil

A empresária, jornalista, administradora pública e política Maria Aparecida Borghetti, de 53 anos, nasceu em Caçador (SC), mas foi em Maringá onde construiu, ao lado do marido, o deputado federal e ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP), sua base política. Cida Borghetti foi deputada estadual em dois mandatos consecutivos, de 2003 a 2006 e de 2007 a 2011, quando foi a 4ª Secretária da Mesa Executiva e se destacou como recordista na criação de leis estaduais no Paraná: 101, ao todo.

Em outubro de 2010, foi eleita deputada federal. Cumpriu mandato na Câmara dos Deputados, em Brasília, de 2011 a 2014, período em que apresentou nove projetos de lei. Somente um vingou, aprovado em 2012, numa proposição coletiva que, entre outros elementos, criou o “vale cultura” para os trabalhadores. 

Em 2014, aceitou o convite do ex-governador Beto Richa (PSDB) e concorreu ao cargo de vice-governadora, quando o tucano foi reeleito no primeiro turno. Em abril deste ano, Cida assumiu o governo do Estado em substituição a Richa, que deixou o Palácio Iguaçu com pretensões de concorrer ao Senado. 

A governadora falou sobre obras previstas para a cidade de Irati e a região Centro-Sul e sobre o encaminhamento para a continuidade de obras paralisadas há anos. Confira a entrevista completa abaixo



Comentários

Enquete

Em relação aos candidatos à presidência da república, você está?

  • Confuso (a)
  • Definido (a)
  • Indeciso (a)
Resultados